11 comentários:

Orion disse...

Muito bom... Antes eu só programava usando linguagens de alto nível, mas depois que eu aprendi a programar máquina NORMA, máquina de Turing e LISP a minha mente simplesmente se abriu. Eu passei a enxergar o fluxo de informações de uma maneira muito diferente. Conceber algoritmos tornou-se muito mais fácil depois que eu consegui compreender essas três máquinas que citei.
Eu já desenvolvi pequenas aplicações em Assembly, mas só coisas simples. Pena que não há muita informação disponível neste site. Gostaria muito de entrar de cabeça na programação Assembly.
Eu já fiz todo o C Progressivo e o Java Progressivo.

Abraço.

SPACE DIGITAL disse...

Cheguei até aqui e vou em frente.. JR Rocha

elimoraissilva disse...

Bom demais, obrigado pelo curso, está muito bom os estudos...

Anônimo disse...

Assembly, embora seja uma linguagem de baixo nível, devemos tudo a ela, ela fez o passado, enxergando o futuro. ela e a chave de um futuro tecnológico e será sempre usada por muitos.

eliasandrade disse...

Estou estudando, por hobby, o PIC 16F628A (comprei um livrinho esses dias e estou pra comprar um gravador PIC também), e vou continuar lendo seu blog. Tenho muito interesse em entender mais a fundo o assembly pra microcontroladores!

Anônimo disse...

estou atualmente produzindo jogos para NES(estou em dúvida se seguir ou não) passei alguns dias e aqui o resultado: https://www.youtube.com/watch?v=fHr2__ZKztY apesar de existir, delphi, delphix, Visual studio, VB, etc, não curto nenhum e sempre quis fazer para o NES a tempos atrás havia pego para montar jogos nele porém lembro-me que fiz um texto na tela somente, mas admito, programar para console antigo, sinceramente o ATARI(Completo) é horrível, quando tentei, é muito limitado e para mandar um texto na tela é algo muito precário e dificultoso, Megadrive é bem parecido com X86 e Snes também, nes nem tanto por ser assembly, mas não deixa de ser mediano para se fazer jogos.

scratred disse...

“Não sou louco em querer entender como funciona um carro. Louco é quem senta em cima de toneladas de ferro que possuem a força de centenas de cavalos, sem saber o que está acontecendo logo abaixo.”

Vou levar essa frase para as rodas de bate papo com meus amigos quando ele perguntar porque to estudando assembly, muito obrigado, o curso está ótimo.

JoãoDamasceno disse...

Só uma curiosidade: Caso não se deseje programar em Assembly, que outra linguagem poderia ser utilizada plenamente para substituir o uso do Assembly?

JoãoDamasceno disse...

O que vou postar é apenas uma curiosidade, já que verdadeiramente não sei programar e o que uso que sequer pode ser chamado de programação é escrever textos em LaTex. Pois bem, minha curiosidade é a seguinte: É possível substituir completamente a programação em Assembly pelo C? Ou ainda há diversas aplicações que só são viáveis via Assembly?

Anônimo disse...

Em pleno Outubro de 2017, e o material ainda está sendo útil para abrir horizontes nas mentes de quem procura entender nos mínimos detalhes o que ocorre em meio a milhares de zeros e uns.

Anthony disse...

Estudei muito Java e Python. Quero saber o mais fundamental possível agora, indo direto para o Assembly entender como minha máquina faz tudo.